A Usina Itaicy, implantada em 1897, representou uma transformação da cultura e das relações sociais e econômicas no cenário da industrialização do Estado de Mato Grosso. Portanto, historicamente, o complexo da referida usina representa um patrimônio para a arqueologia industrial brasileira.

Na passagem do século XIX para o XX, Itaicy era propriedade de uma figura lendária da história mato-grossense, Antônio Paes de Barros, conhecido como Totó Paes de Barros, que foi presidente do Estado.

A usina começou a ser edificada em 11 de junho de 1896 e terminou 14 meses depois. Estima-se que cerca de 1.000 operários participaram da construção. O maquinário, importado da Alemanha chegou ao local por transporte fluvial.

De 1900 a 1920 Itaicy teve o seu período de esplendor. Chegou a abrigar uma população que registrava perto de cinco mil pessoas e foi o primeiro lugar de Mato Grosso a ter energia elétrica. A localidade tinha capela, escola, farmácia, dezenas de casas (em estilo popular padronizado), aulas de música para crianças e, inclusive, tinha moeda própria, cunhada ali mesmo.

Com uma produção de 80 mil toneladas de açúcar/ano e 160 mil litros de aguardente/mês, a usina revolucionou a indústria no Estado. A decadência da usina teve início na década de 30 e em 1957 Itaicy parou de produzir. Desde então, ficou abandonada.

Usina Itaicy